clicRBS
Nova busca - outros
Autor: Rádio Gaúcha
27/09/2013 às 10:53

Administração do Museu Julio de Castilhos contabiliza estragos após atos de vandalismo. 27/09/2013

Enviar:Enviar:
Compartilhar:
twitter
Avaliar:starstarstarstarstar
views0comments0
Embed:

A administração do Museu Julio de Castilhos ainda não tem ideia dos custos para consertar os estragos feitos nesta quinta-feira (27), após nova manifestação e ação de vândalos no Centro de Porto Alegre. Entre os danos estão vidros quebrados, a fachada de arenito e uma porta de madeira pichadas e duas bandeiras roubadas. Cerca de 20 pessoas estavam dentro do local na hora do ataque, mas ninguém se feriu apesar do arremesso de pedras. O Museu Julio de Castilhos ficou fechado por 16 anos e reabriu ao público no dia 3 de agosto.

"A gente reabre com tanto esforço o museu e aí vem uma turma de vândalos e depreda tudo gratuitamente. É puro vandalismo", lamenta o diretor do museu, Roberto Schimitt-Prym.

A catedral também foi pichada e teve vidros quebrados. A Brigada Militar alega que não tinha informações sobre o novo comportamento dos manifestantes. 

"Os professores, até ontem, não tinham nenhuma demonstração dessa natureza. A nossa ação foi direcionada e planejada com esse foco. Obviamente que, à medida que as manifestações vão acontecendo e os movimentos vão mudando, a Brigada também vai mudar", justifica o comandante-geral da Brigada Militar, coronel Fábio Duarte Fernandes.

Três professores foram detidos depois do protesto e foram liberados após pagamento de fiança. No entanto, o Cpers nega que eles tenham participado dos atos de vandalismo. 

Vídeos Relacionados

Anterior
Próximo
Comentários

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)

Buscar:  

Envie seu arquivo