clicRBS
Nova busca - outros
Autor: Rádio Gaúcha
11/09/2013 às 09:06

"Crescimento da economia gaúcha no primeiro semestre é de 8,9%", diz governador Tarso Genro. 11/09/2013

Enviar:Enviar:
Compartilhar:
twitter
Avaliar:starstarstarstarstar
views0comments0
Embed:

O governador Tarso Genro disse hoje que o crescimento da economia do Rio Grande do Sul será de 8,9% no primeiro semestre de 2013, na comparação com o mesmo período do ano passado. 

"A previsão otimista de crescer o dobro do Brasil é totalmente factível".

Entre os motivos do aquecimento da economia gaúcha, o governador apontou a força da agricultura e também da indústria gaúcha. 

"O Estado não é mais totalmente dependente do agronegócio".

Para Tarso Genro, a disposição dos investidores de confiarem no Rio Grande do Sul se deve à estabilidade política e à diversidade econômica do Estado. O governador destacou também a formação de mão de obra qualificada.

"Este ano, o Pronatec no Rio Grande do Sul está formando mais que no resto do Brasil".

Imposto de fronteira

A respeito do queda do imposto de fronteira, aprovada pela Assembleia Legislativa ontem, o governador disse que mantém a posição de que a medida representa um prejuízo para a indústria, o emprego e a arrecadação.

"Isso pode encher o Estado de quinquilharias chinesas que entram por Santa Catarina".

Greve Cpers

O governador afirmou que não receberá a direção do Cpers e que os secretários da Casa Civil, Carlos Pestana, e da Educação, José Clóvis representam o governo. Desde ontem, manifestantes ocupam o gabinete da Presidência da Assembléia Legislativa gaúcha pedindo audiência direta com o governador para tratar da greve dos professores.

"Não há nenhum motivo de urgência pra que o governador interfira". 

Para Tarso, o Cpers não tem informado à categoria as propostas do governo, como 23 mil promoções que não são feitas há dez anos. Segundo o governador, a iniciativa vai garantir aumento de 8 a 10% para 23 mil professores.

"Não há greve no Estado, existem faltas de serviço localizadas".

Piso nacional dos professores

Sobre a correção do piso dos professores, Tarso disse que se o índice for o do Fundeb, nenhum Estado ou município vai pagar. 

"Aí será o caos".

Áudios Relacionados

Anterior
Próximo
Comentários

Deixe um comentário

(O comentário não pode exceder 500 caracteres)

Buscar:  

Envie seu arquivo